Por Leandro Valquer

 

Tribos de Kam:

Etíopes, Gêges, Egípcios, Núbios…

Que batucam meu coração mandingueiro

Que batucam o rataplam dos meus lábios

Percussivos africanos

Seja em que dialeto, dia, letra, idioma eu diga

Transbordai essa memória mágica

Em nossas cores, tatos, palatos, sons e cheiros

 

Levantai o escravo mais pacato

Ajudai-nos a incendiar o cativeiro

Porque nossa liberdade é um pacto

E vossa fala

Vossa fala é o ciclone do Sudão

E vosso pensamento é o sol do Saara

A cerrar nossos olhos

Contra as promessas ilusórias

Da genocida civilização

Eropéiamachistabrancacristã

E sua sinistra corrente

Que eles chamam dinheiro

 

Rendei cada senhor cada rei

Matai cada engenheiro dessa reengenharia

Embelezai de arabesco nossa fúria

Defumai nos astros nossa dor

Pra que a vadiagem dos berimbaus

Reduzam a correria

E alegrias e atabaques sejam ritus

Meros ritus de Ascenção

 

Na luta contra o mais novo deserto capitalista

 

Onde a morte no seu minarete reina

Onde a morte no seu minarete

Reina com a solidão

Mandando meter bala e baixar o cacetete

Naqueles que guerrilham

Contra a escravidão pós-abolicionista

 

Esta que nos arma pra promover a Guerra Santa

Entre nós mesmos

Que é a guerra da $anta Aquisição

 

Onde o aburguesamento técnico do escravo

Deixa-o descascável como cascavel

Maquiável como Maquiavel

Onde o dividir pra dominar

Funciona como nunca se viu

E o pobre imaginando que está Rico

Continua a ver naves onde antigamente via navios

 

Tribos de Kam, tribos de Kam

Ajudai-nos a incendiar o cativeiro!!!!

 

PanAfrican1-300x300